Excelências

Minhas Senhoras e meus Senhores

Caros Compatriotas

 

É com enorme prazer que os recebemos para celebrar o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. É com enorme alegria que revejo Félix Braz no meio de nós, a quem saúdo calorosamente. 

Hoje é um dia de festa, mas também de reflexão sobre a nossa alma inquieta, sobre o nosso herói desconhecido, sobre a nossa tenacidade e sobre a nossa esperança coletiva.

Depois de uma pandemia que nos impediu de estarmos juntos nos últimos dois anos, a solidariedade e a resistência triunfaram, estando hoje a situação melhor, mas o combate ainda não terminou.

Outro combate, o da invasão da Ucrânia pela Rússia, contra todo o direito e a ética internacionais, está a ser travado na Europa. Os ucranianos sofrem, mas resistem. Saúdo os membros da Associação LUkraine que estão hoje aqui connosco, com a sua bandeira e com o seu hino. A História mostra que não é possível amordaçar um povo.

Foi isso que o Primeiro Ministro de Portugal, António Costa, foi dizer em Kiev ao Presidente Zelensky no passado dia 21 de maio. Se todos ajudarmos como devemos, então o resultado será o que todos desejamos.

A urgência climática que a atual crise energética pôs em evidência é outro desafio que devemos ultrapassar. A transição energética e verde será essencial para responder às exigências da nossa juventude e às necessidades urgentes do nosso planeta.   

A recente Visita de Estado a Portugal de SAR o Grão-Duque Henri e a Grã-Duquesa Maria Teresa, a segunda do seu reinado, que integrou quatro importantes ministros do governo luxemburguês e foi acompanhada por uma missão económica com mais de 130 empresas e entidades, foi um sucesso e evidenciou:

  1. a excelência do relacionamento e da amizade entre os dois países é real e fácil;
  2. o elo que nos une é uma Comunidade Portuguesa enorme que aqui reside e trabalha e que contribui para o desenvolvimento do Luxemburgo;
  • a partilha de preocupações comuns na ONU, na U.E. e na OTAN;
  1. e a aposta na economia do futuro, digital e verde, colocando-a num patamar de ambição e potenciando novas parcerias.

Antes de passar a palavra a alguém que a maioria conhece e que me apoiou muito nalguns projetos quando aqui cheguei, a bem da Comunidade Portuguesa, gostaria apenas de recordar a necessidade de os vossos filhos continuarem a aprender a língua e cultura portuguesas, a par das da sociedade de acolhimento e de participarem mais ativamente na vida cívica local, assim exercendo o seu direito de cidadania, tornando o Luxemburgo mais plural e a Comunidade mais presente.

 

Muito obrigado.

  • Partilhe